Terapia de Reposição Hormonal (TRH) Masculina e Feminina

A Terapia de Reposição Hormonal (TRH), como qualquer outro tipo de conduta médica, possui benefícios e riscos, devendo, portanto, ser devidamente indicada, para que os benefícios superem em muito os possíveis riscos.

A TRH compreende não só o público masculino, como também o feminino, e o objetivo é proporcionar níveis fisiológicos (de volta ao padrão de normalidade), favorecendo a homeostase (equilíbrio do corpo humano), como consequente suporte na recuperação da libido, melhoria da composição corporal, disposição, cardiovascular e saúde metabólica, com aumento do score de qualidade de vida.

No caso dos homens, a TRH corresponde à TRT (Terapia de Reposição de Testosterona), frente a um quadro de hipogonadismo, com níveis infra-fisiológicos (fora do valor de referência normal) e sinais e sintomas clínicos típicos (queixas sexuais e clínicas diversas).

Objetiva-se administrar até 100mg de testosterona por semana, para devolver o paciente aos níveis fisiológicos (normais).

Há um variado leque de vias de administração (gel, injetável, implante hormonal). No caso do paciente ainda possuir reserva tes7cular (volume tes7cular maior que 14mL e LH<6), pode-se tentar o uso de um medicamento modulador seletivo dos receptores de estrógeno (SERMs),sendo o mais famoso o citrato de clomifeno.

Já no público feminino, a TRH possui um leque mais vasto de abordagens hormonais e indicações clínicas, podendo ser u7lizados, por exemplo, testosterona e outros andrógenos (como a Oxandrolona), estradiol, progesterona (combinados ou não)

frente a quadros clínicos como o hipogonadismo feminino, síndrome da insuficiência androgênica e menopausa.

Ensaios clínicos randomizados apontam para os benejcios supracitados, merecendo destaque a melhoria de sintomas vasomotores (podendo reduzir em até 75% a frequência e 83% a intensidade), sintomas urinários e genitais e função sexual.

Logo, riscos, controvérsias e benejcios sempre irão existir na Medicina, cabendo ao médico prescrever a terapia para o público com devida indicação, buscando unir a ciência com a preferência clínica e resultados dos pacientes.

Referências:
HOHL, A. Testosterona: dos aspectos básicos aos clínicos.
Caseri, L.C. Terapia de Reposição de Testosterona Masculina, 2020. 1 Edição, Lura. CLAPAUCH, R. Endrocrinologia Feminina & Andrologia.